A. C.

Jun 6, 2021

1 min read

Manifesto do frágil

Lamento não ser a rocha que resiste a ação do mar

Mas em vez disso ser a onda que bate nela e se desfalece

E repete esse ciclo

Fazer e desfazer

Desculpe chorar

E reclamar de coisas que parecem tão senso comum

O mundo já bate demais, não deveríamos ser nós a bater mais

Não acho justo permitir a violência para punição

Seu tapa me ensina o errado mas você já tentou apontar o certo?

Sinto por você que precisa do descontrole do outro para superioridade

Sinto pelo mundo em pedaços que não conseguimos consertar

Sinto por tudo

Mas é melhor me quebrar em mil pedaços a ser conivente com a dor

Eu sou a pessoa do outro lado do espelho.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.