A. C.

Mar 19, 2019

1 min read

Olimpíada

O dragão dispara ao horizonte.

O pânico atinge seu pico. Os passos afundam no chão. Correm o mais longe que podem. Mas nunca é suficiente.

A besta ruge.

Algo morre. Corra, corra, CORRA. Os pés continuam a bater. Ninguém ousa olhar para os lados. Não há como ajudar os que caem nessa corrida desenfreada do progresso. É correr ou morrer.

A temperatura sobe pelo fogo infernal da criatura.

Todos continuam. Passam por cima de muros, pedras, animais e corpos para fugir de algo que nunca viram pois temem com todo o medo do mundo de olhar para trás. Também não sabem aonde vão. O “lá” nunca foi definido. Apenas tem que chegar.

As asas cortam mais velozes que o vento.

Todos na maratona eterna estão perpetuamente banhados. Suor e lágrimas fazem uma dança complicada sobre as faces sempre alertas. Dormir jamais foi uma opção. O dragão é sempre vigilante. E por isso…continuamos sempre correndo.

Eu sou a pessoa do outro lado do espelho.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.